Famílias pradenses participam do programa Gestão Sustentável da Agricultura Familiar.

reprodução


Através de um programa desenvolvido pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Secretaria do Desenvolvimento Rural, pesca e Cooperativismo, e executada pela EMATER/RS, o Município de Antônio Prado está participando da Gestão Sustentável da Agricultura Familiar. O programa vem com o propósito de beneficiar as famílias rurais e promover a gestão e a adequação socioeconômica e ambiental das propriedades rurais familiares, gerando conhecimento para projetar, monitorar e avaliar sistemas de produção de forma sistêmica, e assim, fazer perceberem os gastos demasiados da produção e onde poderiam investir para gerar uma maior renda na propriedade.

No primeiro ano do programa houve a capacitação dos técnicos envolvidos. Estes foram preparadas para realizar o diagnóstico socioeconômico e ambiental dos empreendimentos rurais assistidos, os fundamentos sobre gestão econômica e financeira, acesso a mercados, fundamentos de gestão ambiental e adequação ambiental, e organização e participação sociocomunitária.

O programa quer como resultado que as famílias envolvidas tenham uma visão melhorada sobre a propriedade e as atividades desenvolvidas tanto ambientais, sociais, quanto as econômicas. O objetivo é auxiliar o produtor a levantar as principais demandas da propriedade, e fazer com que seu estabelecimento permaneça mais rentável. ‘Para se conseguir captar informações relevantes ao beneficiamento da produção, foram realizados questionários socioeconômicos e ambientais, e uma planilha econômica direto com os produtores beneficiados, a qual traduz a renda e quais os gastos estão sendo excessivos para a produção, sendo que através deste questionário se pode dar uma maior orientação sobre os ajustes a serem realizados no meio rural, e também é uma ferramenta para a família utilizá-la e fazer o gerenciamento da propriedade para acompanhar os avanços obtidos em cada período,” destaca a extensionista da EMATER, Luciana Fagundes.

No Rio Grande do Sul, se planeja ter a inclusão de 40 mil agricultores e/ou pecuaristas familiares, sendo que serão 20 mil planos de gestão, 900 unidades de referência técnica e se pretende aumentar em 20% a renda das famílias. Em Antônio Prado, as unidades de referência técnica estão em estudo de implantação, sendo que em todo o Município até este ano serão duas propriedades, do mesmo modo percebe-se que os estabelecimentos que foram incluídos no programa em 2015/2016 já aumentaram sua renda em no mínimo 30% através da diversificação e da inclusão de outras culturas.

“O programa vem tendo apoio dos órgãos que trabalham com agricultura familiar e Prefeitura Municipal, pois é uma ação com uma importância muito grande e somente com união e cooperação se pode transformar as propriedades às quais são levados os serviços de extensão e assistência técnica rural."



O projeto iniciou no município no ano agrícola 2015/2016 com cinco famílias e em 2016/2017 mais dez famílias iniciaram a nova forma de gestão.

Postagens mais visitadas deste blog

Área no Centro de Eventos será destinada a FAP

Giovana Gazola Michelin é a rainha do Cinquentenário da Escola Frei Casimiro Zafonatto

Tribunal de Justiça declara inconstitucionais emendas da Câmara de Vereadores de Ipê